segunda-feira, 9 de maio de 2011

A guerra dos gadget. Uma questão para pensar

Sabe o seu smartphone novo, seu ipod, ou seu tablet, que quebra aquele galho e que deixa você super conectado no mundo, onde quer que esteja? Muito provavelmente ele tem em suas placas internas três elementos minerais que financiam a desgraça de um país.

Os gadget que tanto nos ajudam no dia a dia, utilizam em seus componentes internos minerais como o tântalo, o tungstênio, o estanho e, em menores quantidades, o ouro. Esses elementos são provenientes da República Democrática do Congo, na África, que enfrente um dos piores conflitos de nossa época com as milícias e grupos rebeldes que contrabandeiam a matéria-prima para elaboração desses aparelhos. O minério contrabandeado chega para as fábricas de eletrônicos com preço muito mais barato. O dinheiro desse contrabando alimenta os conflitos e a exploração do trabalho no Congo.


Segunda a revista Galileu, só em 2009, os grupos armados congoleses receberam US$ 185 milhões com a mineração ilegal, de acordo com estimativa da organização americana de direitos humanos Enough Project. “Os valores podem flutuar, mas certamente são suficientes para perpetuar a guerra, comprar armas e pagar soldados”, afirma Aaron Hall, analista de política da entidade. Ou seja, adquirir algum aparelho eletrônico está indiretamente relacionado à manutenção do conflito mais violento do planeta após a Segunda Guerra Mundial.

Existem esforços ainda muito incipientes para que a indústria de eletrônicos pare de consumir esses elementos vindos da zona de conflito no Congo, mas admite-se que é bastante difícil controlar o contrabando. Algumas indústrias já estão engajadas nessa luta, mas muito precisa ser feito. Confira a matéria completa na revista Galileu e reflita sobre esse problema. Atitude é pensar num mundo onde todos possam ganhar. No Stress.

Nenhum comentário:

Postar um comentário