quinta-feira, 10 de março de 2011

Ressaca do bem

Depois dos dias de folga e da sensação de que o ano começa depois do carnaval, o dia de hoje para muita gente é de ressaca. Seja para aqueles que aproveitaram a folia até o último minuto ou para aqueles que relutaram em acordar cedo depois de tantos dias de folga.

Já que o assunto é ressaca, buscamos na revista Galileu, um material muito interessante sobre o tema. É uma pequena análise sobre quais benefícios poderíamos tirar da ressaca.

No texto de Ingo Thomas a ressaca é apontada como um sinal do corpo para nos avisar dos limites do consumo de álcool. Outra observação trazida por Thomas é que muitas vezes as pessoas buscam a ressaca para concretizar o mal-estar psicológico em mal-estar físico. Assim podem ter a sensação de que quando a ressaca se vai, leva com ela a angustia e os sentimentos ruins que sentiam.
O autor ainda alerta que não quer fazer nenhum tipo de apologia ao consumo de álcool e que sabe dos malefícios de seu consumo exagerado, da tristeza de doenças como alcoolismo e da irresponsabilidade de conciliar álcool e direção. Seu ponto de vista é o da reação. Para Thomas, o mal-estar proporcionado pelo exagero da bebida traz uma grande oportunidade de recuperação e, quem sabe, de um pequeno recomeço. Para isso, é preciso não se limitar ao remorso de ter bebido. É preciso aproveitar a sensação de lutar para se sentir melhor e ser bem-sucedido.

Leia o texto na íntegra (Revista Galileu)

Um comentário:

  1. A apresentadora Hebe Camargo tem um dica importante para você! Confira o vídeo da campanha Saúde Não Tem Preço: http://bit.ly/gwEDaB

    Siga-nos no Twitter e fique por dentro desta campanha: www.twitter.com/minsaude
    Para mais informações: comunicacao@saude.gov.br ou www.formspring.me/minsaude
    Obrigado,
    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir