sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Vamos evitar as podas



Todos os anos, no inverno, ocorrem podas de árvores. Muitas vezes, em função disso, as árvores fenecem. No meio urbano, infelizmente, é raro encontrarmos uma árvore totalmente sadia. Grande parte está doente. A solução da administração pública é, então, cortar os galhos atingidos. Ocorre que as chamadas "podas de recuperação" consistem-se em alternativa nefasta ao vegetal, pois deixam feridas que tornam a árvore suscetível a bactérias, fungos, insetos e outros animais menores.

Em princípio, as árvores não precisam de podas. Como pondera o ilustre ambientalista José Lutzenberger, "se necessitassem, todos os bosques naturais se acabariam sozinhos. Quanto mais livremente uma árvore consegue desenvolver-se, mais bela e são ela será, e tanto mais tempo viverá".

A poda só é justificada nas espécies destinadas à fruticultura ou à viticultura. Nas demais árvores, a poda ou o corte só serve para criar formas artificiais. Mesmo assim, o trabalho é feito com podão, isto é, com uma tesoura especial, cortando-se em pontos certos galhos da grossura de um lápis. [Continue lendo...]

Nenhum comentário:

Postar um comentário