sexta-feira, 16 de julho de 2010

Reciclagem e redução das carroças






Sempre defendi a formalização da coleta seletiva e a ampliação e qualificação dos centros de triagem como forma de inclusão social. Se o potencial de emprego e renda do ciclo da reciclagem fosse devidamente aproveitado, o número de veículos de tração animal e de tração humana seria reduzido de forma drástica.

Nas áreas urbanas, as carroças e carrinhos são usados no recolhimento informal de resíduos, uma das últimas alternativas de sobrevivência da população excluída. É um cenário desolador, muitas vezes composto por animais maltratados e exaustos, pessoas submetidas a uma atividade precária e insalubre, trabalho infantil e condutores desabilitados. É esse cartão de visitas que apresentaremos aos turistas na Copa de 2014?

Os catadores irregulares manuseiam os rejeitos sem qualquer proteção, sujeitos a ferimentos e contaminações por doenças. Frequentemente, a separação do lixo ocorre no mesmo terreno de moradia das famílias, e o acúmulo de detritos contribui para a propagação de moléstias. Os materiais descartados são, amiúde, despejados nas ruas e arroios. Além disso, muitos são explorados por atravessadores, que compram os recicláveis a preços baixíssimos e revendem com grandes margens de lucro a empresas do ramo.

[continue lendo...]

Nenhum comentário:

Postar um comentário